CUT e Frente Brasil Popular se mobilizam em defesa da vacina e do emprego

No dia Mundial da Saúde, celebrado nesta quarta-feira (7), a CUT e a Frente Brasil Popular vão realizar mobilizações em vários locais do país (veja relação abaixo) reivindicando vacina contra Covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus, para todos e todas, geração de emprego, quebra de patentes das vacinas contra a doença e pelo “fora, Bolsonaro”.

A CUT realizará também uma live, às 19h, para debater o atual cenário brasileiro. Entre os convidados, o senador, médico e ex-ministro da Saúde, Humberto Costa (PT), o médico sanitarista e pesquisador da Fiocruz Claudio Maierovitch, e Fernando Pigatto, presidente do Conselho Nacional de Saúde. Pela CUT participam a secretária de Saúde do Trabalhador da Central, Madalena Margarida Silva, e Antonio Lisboa, secretário de Relações Internacionais.

Dia Mundial da Saúde em plena pandemia

Criado em 7 de abril de 1948 pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para conscientizar a sociedade sobre qualidade de vida e sobre fatores que afetam a saúde da população, o Dia Mundial da Saúde será simbólico este ano, especialmente no Brasil.

Os brasileiros enfrentam a maior crise sanitária de sua história com o agravamento da pandemia do novo coronavírus e têm no comando do país um presidente negacionista, que sabota as medidas preventivas indicadas por autoridades da área de saúde, espalha fake news e orienta a população a usar o kit covid, que ele chama de tratamento precoce. Jair Bolsonaro (ex-PSL) já é considerado um perigo para o Brasil e para o mundo, como afirmou o editorial do jornal britânico The Guardin desta terça-feira (6).

Com aproximadamente 3% da população mundial, o Brasil concentra 30% de novas infecções registradas diariamente em todo o planeta. Especialistas na área de saúde apontam que abril pode ser o pior mês da pandemia até agora e que, se nada for feito, o Brasil terá um total de 600 mil mortes até julho.

Por isso, no Dia Mundial da Saúde, a CUT, centrais sindicais e movimentos sociais o foco central da luta será pelo ‘Fora, Bolsonaro’.

“A CUT definiu em suas resoluções elencar o ‘Fora, Bolsonaro’ como luta central. É imprescindível associar isso a todas as lutas, como as pela vacina e pelo emprego, porque com ele no governo não vamos conseguir reverter essa situação”, diz a secretária de Saúde do Trabalhador da CUT.

Este é o momento em que a CUT e seus sindicatos filiados reforçam a defesa da vida e a proteção aos empregos, afirma a dirigente.

Temos um mote esse ano que é ‘salvar vidas, proteger o trabalho, vacina para todos e todas e em defesa da quebra de patentes’.  

– Madalena Margarida Silva

Quando fala em ‘quebra de patentes’, a secretária se refere a licença compulsória ou obrigatória de patentes que, na prática, significa uma suspensão temporária do direito de exclusividade do dono do produto, a chamada patente, que permite a produção, uso, venda ou importação do produto ou processo patenteado, por um terceiro, desde que tenha sido colocado no mercado.

“Há uma necessidade, um chamado global sobre a importância da quebra de patentes. Entendemos que é fundamental para diminuirmos os custos de vacinas e insumos para que possam ser fabricadas em larga escala, por mais laboratórios e e assim, garantir que todos ao redor do mundo possam ser vacinados”, explica a dirigente.

Na live da CUT com autoridades da área da saúde, um dos pontos a serem abordados será a vacinação no Brasil, outro ponto fraco do governo federal. Por negligência do governo Bolsonaro, a imunização dos brasileiros começou tardiamente. Também houve um desprezo na aquisição doses. Bolsonaro chegou a negar a compra de imunizantes da Pfizer em setembro do ano passado, chamou a vacina produzida pelo Instituto Butantan de vacina chinesa, disse que não tomaria e duvidou da sua eficácia. Paralelamente, o presidente insiste em defender o chamado tratamento precoce com medicamentos sem eficácia comprovada.

Para Madalena Silva, o tema das vacinas é de extrema importância já que, de acordo com cientistas, a maneira mais segura de frear a pandemia é a combinação de isolamento social com imunização em massa.

Não menos importante é a defesa pelo isolamento social, tão combatido por Bolsonaro. “Países que adotaram o lockdown conseguiram diminuir o número de casos”, lembra Madalena Silva. No Brasil, exemplos de cidades como Araraquara, no interior de SP, comprovam que a medida é eficaz no controle das infecções.

A secretária de Saúde da CUT aponta o lockdown como essencial para a defesa da vida dos trabalhadores e alerta que a defesa do emprego, com proteção social também é fundamental.

“É a classe trabalhadora que está se contaminando no transporte quando vai para o trabalho, porque não houve ação coordenada em nível nacional para que o vírus não circulasse. Para a situação não piorar ainda mais é urgente um lockdown nacional de 21 dias, que a CUT defende, com proteção aos empregos e com recursos [do governo para garantir a sobrevivência econômica das pessoas e para os hospitais”, diz Madalena Silva.

Nossa luta é defender a vida acima de tudo de tudo, principalmente no contexto da pandemia. Perdemos o controle e não temos ações que garantam a sobrevivência das pessoas. Hoje, nossa luta é para que as pessoas não cheguem aos hospitais, que estão superlotados.

– Madalena Margarida Silva

A live da CUT “Salvar vidas, proteger o trabalho, vacina para todos e todas e em defesa da quebra de patentes será transmitidas pelas redes sociais da central – Facebook e Youtube – a partir das 19h

Mobilização social

A CUT e movimentos sociais que fazem parte da Frente Brasil Popular farão mobilizações nas redes sociais e em várias cidades do país com foco na defesa do SUS e pelo ‘fora, Bolsonaro’. A hashtag principal deste dia será #VacinaSalvaBolsonaroNão. Um tuitaço está programado para as 11h.

A mobilização também é em defesa da vacinação para todos e todas e na denúncia da responsabilidade de Bolsonaro nos números terríveis de doentes e mortos no Brasil.

Os atos serão simbólicos com no máximo 10 pessoas em locais estratégicos com panfletagens e cartazes para conscientizar a população e estão programados para acontecer a partir das 9h.

Veja os locais

 

DF – Brasília

9h: ato da CUT no gramado do Ministério da Saúde

16h: ato do Conselho Nacional de Saúde na Praça dos três poderes

 

Minas Gerais

Belo Horizonte, atos a partir das 13h, nas UPAS:

-Pampulha

-Oeste

-Venda Nova

-Centro-Sul

-Leste

-Noroeste II

-Nordeste

-Barreiro

-Norte

Pernambuco

Recife

7h: ato simbólico de protesto em frente à Praça Oswaldo Cruz (Boa Vista), com a fixação de cartazes, faixas e cruzes em memória dos mortos pela COVID-19. Todos devem ir de branco.

Piauí

Teresina

11h: Hospital Monte Castelo

 

RJ

Rio de Janeiro

10h: ato do Sindprev no Hospital da Lagoa

13h: ato do Sindprev no Hospital do Andaraí

 

Rio Grande do Sul

Porto Alegre

9h30: ato das centrais sindicais em frente à Prefeitura

11h: ato às 11h no Palácio Piratini

 

Santa Catarina

Florianópolis

9h: ato do Sindsaúde na Casa da Agronômica

12h: ato no Largo da Catedral

 

SP

Carapicuiba

Ato às 11h,na UBS da COHAB II (na Rua Dumont, 410)

 

Osasco

Ato às 11h em frente à Prefeitura

 

São Paulo (às 11h)

Ato da Central de Movimentos Populares (CMP) no vão livre do MASP

Ato do Sindsep-SP na UPA do Hospital de Campo Limpo

Ato da CMP na Catedral da Sé

Ato do Sindsaúde no Hospital das Clínicas

Ato no Hospital Vila Alpina

Ato no Hospital Itaim

Ato do Movimento Atingidos por Barragens e da CMP no Hospital Grajaú

Ato do PT em frente à Prefeitura

Ato do Fórum de Saúde Campo Limpo no Hospital M. Boi Mirim

Ato do Sindsep no Hospital/UPA Pirituba

Ato no Hospital João XXIII

Ato no terminal e no Hospital de Sapopemba

Ato no Hospital de Vl. Prudente

Ato do Sindesep no Hospital Municipal Dr. Arthur Ribeiro Saboya

Ato do MTST no Hospital Menino Jesus em – Ermelino Matarazzo

Ato dos Metroviários na estação Jabaquara (METROVIÁRIOS)

 

Hortolândia (6h às 11h)

Ato na rodovia SP 101 (sentido Campinas)

Ato no Hospital Municipal

Ato no Centro Comercial

 

SERGIPE

 

Aracaju

7h: Ato na Praça General Valadão

 

LIVES

10h – CONSELHO NACIONAL DE SAÚDE: “Em defesa do SUS e da Vida de todas as pessoas”
onde: instagram.com/conselhonacionaldesaude.cns/

16h – PROGRAMA BRASIL POPULAR: “Pandemia e os desafios do SUS”, com Inez Padula, Diretora Científica da Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade e Francisco Funcia, Consultor técnico da Comissão de Orçamento e Financiamento do Conselho Nacional de Saúde
onde: TV 247 (youtube.com/brasil247)

16h – ÁGORA ABRASCO: “A saúde no Brasil”, com Guilherme Werneck, Edna de Araújo, Reinaldo Guimarães, Eloi Lola Gurgel, Naomar de Almeida Filho e Gulnar Azevedo e Silva.
onde: youtube.com/tvabrasco

17h30 – ESPIRITO SANTO: “O dia mundial da saúde, a defesa do SUS e a pandemia”. Com Geiza Pinheiro, Milene Terra, Madalena Margarida e Maria Faria (Sindsaude/ES).
onde: facebook.com/sindsaudees/live

18h – SÃO PAULO: “Semana Mundial da Saúde em defesa da Vida”, com Raimundo Bonfim, Alexandre Padilha, Lourdes Estevão, Pedro Tourinho, Celia Costa
onde: facebook.com/cmpbrasil/live_videos/

19h – GOIÁS: Plenária Estadual Fora Bolsonaro: “A necropolítica genocida do governo e a devastação da pandemia de COVID-19 no Brasil”
onde: facebook.com/forabolsonarogoias/live

19h – CUT BRASIL: “Salvar vidas e proteger empregos”, com Madalena Margarida (Saúde do Trabalhador CUT), Antonio Lisboa (Relações Internacionais CUT), Claudio Maierovitch (FIOCRUZ), Senador Humberto Costa (PT), Fernando Pigatto (Presidente CNS)
onde: http://facebook.com/cutbrasil/live / www.youtube.com/Cutbrasil

19h – METALÚRGICOS ABC: “Reflexões sobre a pandemia, homenagem aos profissionais da saúde, oração e solidariedade às famílias”, com Arthur Chioro (Ex-Ministro da Saúde), Eduardo Brasileiro (Economia de Clara e Franscisco), Gilberto Carvalho (PT), Romi Bencke (CONIC) e lideranças interreligiosas.
onde: http://facebook.com/smabc

20h – Hortolândia/SP: “Dia Mundial da Saúde”. Com Carlos Neder (PT)
onde: https://fb.me/e/3EFKj3MPZ

 

Outros dias

 

8 de abril

Brasília/DF: Entrega da Carta Aberta ao Povo Brasileiro da Frente Pela Vida e do Conselho Nacional de Saúde ao STF ( frentepelavida.org.br )

 

9 de abril

Florianópolis/SC: Ato com velas às 18h30 no Largo da Catedral

São Paulo: Ato em defesa do SUS e da vida e em solidariedade aos

profissionais de saúde em frente ao Instituto Butantan

Rio de Janeiro: Ato em defesa do SUS e da vida e em solidariedade aos

profissionais de saúde em frente a Fundação Osvaldo Cruz

 

11 de abril

Vitória/ES: Circulação de carros de som pela cidade em defesa do SUS, da vacina, do auxílio emergencial e do Fora Bolsonaro

 

*Edição: Marize Muniz

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *